Assalariado

Estudaste, formaste-te, vestes-te conforme deves com aquela infusão de business serious com casual friday. Estás impecável, és uma estrela em ascensão. O teu andar é confiante e essa anca tem jinga. 20 e poucos anos e vamos lá ao Mundo. As entrevistas são poucas e demoram bastante a acontecer. Estranho. Surge um padrão nas palavras dos entrevistadores. “Vamos lá ver, tem licenciatura? E mestrado? E fala quantas línguas? Ah e faz voluntariado? Que bem. Sim, sim, nós entraremos em contacto consigo sobre o resultado da entrevista”. Não contactam de volta. Se calhar devias tu ligar para mostrares o teu interesse. Tu leste sobre isto nos teus artigos Business Insider e Buzzfeed! Há muitos ao mesmo osso. Tu tens de sobressair! Anda, cruza a meta. O último sprint. O derradeiro esforço. Tu consegues.
Não!
NÃO, PORRA!
Um país em que uma pessoa tem de estar agradecida por conseguir um emprego depois de anos a investir na sua ‘educação’, porque vá “pensemos nos que não conseguem”. Estamos tão alinhados num sistema que recebe bebés e cospe empregados formatados, que talvez seja preciso relembrar que é absurdo viver a vida como uma peça da engrenagem. Um país em que a infantilização do cidadão comum pode ser frustrante para qualquer alma mais irrequieta. As dicotomias capitalismo vs comunismo, socialistas vs liberais, fascistas vs comunistas que cada vez mais apenas servem para tu poderes pintar cada situação com o nome que preferires e delegar o pensamento para os outros. “Você é um fascista!”. “Então porquê?”. “É ladrão, não aumenta os trabalhadores”.
Não poderia ser melhor? Uma sociedade em que não nos carregassem de propaganda política e de consumismo?
O ideal do pequeno proprietário dos EUA pré-Guerra Civil fala-nos de cidadãos que trabalham para si mesmos. O carpinteiro, o talhante, o barbeiro. Ser assalariado é considerado uma situação temporária para quem queira juntar capital para investir no próprio negócio. Um jovem poderá começar a trabalhar para alguém já estabelecido, mas o seu objectivo deverá ser o de um dia ter o seu próprio negócio. Quando o cidadão comum controla o seu meio de produção e decide por si o que fazer, então isso dá-lhe uma sensação de realização e de tomar as rédeas ao seu próprio destino. Essa realização está para o assalariado moderno como o Dodo está para a vida: não está.

There is not of necessity any such thing as the free hired laborer being fixed to that condition for life. Many independent men everywhere in these States, a few years back in their lives, were hired laborers. The prudent, penniless beginner in the world labors for wages a while, saves a surplus with which to buy tools or land for himself, then labors on his own account another while, and at length hires another new beginner to help him. This is the just, and generous, and prosperous system, which opens the way to all, gives hope to all, and consequent energy, and progress, and improvement of condition to all.

Abraham Lincoln, President’s Message to Congress, December 2, 1861

Originalmente publicado em 02/05/2016

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s