5 dicas para pedalar à chuva

O tempo está uma porcaria, é verdade, o que poderá desmotivar até o mais acérrimo ciclista, mas isto não é um blog meteorológico, por isso para que escrevo eu sobre o tempo? Porque não há maior gozo que pedalar enquanto chove e ver os olhares de pena que nos rodeiam enquanto enfrentamos destemidos o tempo. Ainda tem a vantagem de repentinamente ganharmos a aura de corajosos exploradores das intempéries bíblicas. Vá, não é bem assim, mas lá que dá gozo andar de bicicleta à chuva, isso dá. Ora como tudo, há que preparar a bicicleta e o corpo para este tempo ruim, desde a roupa até aos faróis de sinalização.

Impermeáveis

Não pedales com chapéu de chuva. É romântico, concordo, mas se vier um vento lateral vai tudo voar, incluindo-te a ti. Muito mais confortável e seguro levar um impermeável, que tanto pode ser especificamente para ciclismo (estes geralmente juntam à impermeabilidade, umas faixas reflectoras e são mais justos para reduzir o atrito aerodinâmico) ou até aquele para ir à pesca. Eu uso um azul espampanante, que desconfio que não seja para ciclismo, mas até hoje não me deixou ficar mal. Um impermeável jeitoso pode ser comprado por ~30€ nas lojas de ciclismo.

Sim, é romântico.

Proteger a roupa

Se pedalas à chuva, é óbvio que a corrente irá espirrar lama e óleo para as calças e o pneu traseiro cuspirá lama para as costas. Para o pneu traseiro podes sempre usar um guarda-lamas, que dá para pôr e tirar conforme queiras. Este da Decathlon parece fazer o trabalho.

Sobre a corrente espirrar lama e óleo, ou colocas uma daquelas tampas, que fecha a corrente toda desde a roda traseira até à pedaleira, ou então levas uma muda de calças para mudares no destino. Eu prefiro esta última opção.

Óculos

Uso óculos desde que nasci e para pedalar por vezes é incómodo. À chuva, os óculos são especialmente aborrecidos, porque não há forma de as lentes não ficarem cheias de pingos e a sensação ‘olhar por dentro de um aquário’ é sempre… na falta de melhor palavra, é chata. Se souberes de uma forma de contornar este problema, comenta por favor. Eu costumo aguentar a fraca visibilidade vários minutos e aproveitar os semáforos para limpar apressadamente.

Sinalização

Os impermeáveis de ciclismo já vêm com faixas reflectoras, mas não é suficiente e devem ser incluídos faróis à bicicleta para aumentar a visibilidade do ciclista por parte dos condutores. A Susana tem um farol traseiro, que uso no modo intermitente e dois faróis frontais (1 intermitente e 1 de alta intensidade). Pelo menos o farol traseiro deves colocar. Há uns bons a ~8€ em diferentes lojas de ciclismo.

Pedala devagar

As curvas que fazes a 40km/h normalmente talvez tenham de ser feitas a <25km/h à chuva, senão lá vai o pneu derrapar e bate-cú acontecer. Podes sempre mudar os pneus para uns melhor adaptados ao terreno molhado, mas por uns dias não me parece valer a pena. Se quiseres mudar de pneu, deves ter razões mais duradouras. Por exemplo, eu mudei de pneu traseiro porque os meus pneus originais eram ambos de estrada e muitas vezes faço trilhos, onde o pneu traseiro não agarrava o terreno nem por nada. Ora, pedalar que nem um desalmado para ficar no mesmo lugar não é divertido e por isso coloquei um pneu com relevo para BTT.

Último conselho? Pedala com um sorriso na cara, que assim os olhares de pena que verás dirigidos a ti irão mudar para olhares de pasmo.

Originalmente publicada em 01/2014

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s